----------------------------------

Notícias

Parque das Nações acolheu as mulheres de São Tomé e Príncipe

O Auditório do IPJ – Instituto Português da Juventude - Moscavide (ao Parque das Nações) em Lisboa foi pequeno para acolher centenas de pessoas que se dirigiram ao local para assistir a Conferência sobre o tema"A Mulher de São Tomé e Príncipe - Repensar o Futuro". O evento alusivo ao dia da Mulher de São Tomé e Príncipe realizado na tarde de 19 de Setembro marcou pela diferença muitos outros que lhe antecedeu como referencia um dos assistentes: “ eu não estava a espera de poder passar um 19 de Setembro tão interessante como o dia de hoje. Parece-me que em São Tomé tudo não passou de uma monotonia pela data ”. 

Muitas pessoas que se dirigiram a aquele auditório situado no Parque Expo de Lisboa sentiram-se emocionadas logo na abertura do primeiro painel quando a senhora Maria do Carmo Bragança Neto fazia a contextualização histórica do dia que foi comemorado. Tratou-se de um testemunho vivo que de se certa forma pode-se considerar de uma “verdade oculta”, isto é, a história do 19 de Setembro não é apenas o dia em que as mulheres santomenses se manifestaram pelos respectivos direitos mas também a consequência de um “silêncio prolongado” que causou incómodo á muitos filhos santomenses ansiosos por uma palavra (que nunca mais chegava) como o sinal que viria a ditar São Tomé e Príncipe como ex-província do Ultramar pelas mãos dum ex-Governador das Ilhas.

Maria do Carmo - Uma referência entre são-tomenses

Enquanto a senhora Maria do Carmo falava o silêncio e o ar fresco que se fazia sentir no auditório marcavam a atenção dos assistentes pelas histórias do País que parte delas nunca ou alguma vez reveladas como passagem de testemunho às gerações daquele Pais africano. Maria do Carmo Neto ressaltou também a importância da mulher na sociedade exemplificando com a sua experiencia de vida quanto frisou que a mulher deve acima de tudo “ter a sua própria dignidade”. Não é o facto de um homem ter mais de uma mulher é que ela (mulher) deva em igualdade de circunstância “ banhar-se na lama”. Aliás, tanto o homem como a mulher devem ter o sentimento de orgulho pessoal em nome do respeito mútuo.

Entretanto, Maria Virgínia Almeida Neto falou da mulher santomense emigrante, revelando um breve retrato da sua pessoa como uma mulher de “garra”. Uma excelente mãe e profissional no ramo da saúde. “Empreender no feminino e no masculino com as novas tecnologias da comunicação”, foi o painel apresentado por Carlos Pestana, Psicólogo e formador que despertou os presentes para a realidade: a globalização paralela ao empreendorismo é uma solução possível face ao mundo de “crise”.

A “Participação da Mulher no País Acolhedor” foi o tema apresentado pela Dr.ª Cristina Rodrigues em representação do Alto-comissário para as Minorias étnicas e Diálogo intercultural. Foi bastante elucidativo e clara na passagem de mensagem. Enquanto emigrantes, devemos despertar para o que vai ao nosso redor.
A organização do evento fez questão de apresentar painéis que resulte em reflexão e que disserte para a realidade como alternativa. Na ausência da Chefe da Missão da OIM (Organização Internacional da Migrações) em Portugal, Dr.ª Frederica Rodrigues, representou e defendeu a “feminização das migrações: novos desafios para as mulheres”

Incentivar o envolvimento da mulher de são Tomé e Príncipe na construção e desenvolvimento do país de origem e de Portugal, sensibilizar a participação da mulher nas esferas sociais, políticas e culturais, proporcionar a partilha de conhecimentos e a aquisição de novos valores, incentivar as pessoas para a gestão da mudança para o futuro melhor, nas suas condições sociais e profissionais, foram os objectivos da referida conferência em que os oradores foram bastante objectivos e claros durante a apresentação dos respectivos temas.

Após a conferência, subiram ao palco as grandes vozes e talentos artísticos de são Tomé e Príncipe como: Álvaro (Gapa), Ito Doss, grupo de danças Kuá Téla, Edi Lima e a Cremilde Nogueira que vai lançar no seu primeiro álbum de originais brevemente. A estilista Paula Ceita também esteve presente com as suas manequins.

Em nome dos Irmãos Verdades, Gaby Fernandes dirigiu algumas palavras de solidariedade e reconhecimento para com a causa que motivou o encontro e revelou um projecto que está a preparar para os mais vulneráveis em São Tomé e Príncipe juntamente com Luciana Abreu, actriz portuguesa. Também foi anunciado a previsão de um evento cultural previsto para mês de Dezembro próximo em Lisboa com a CulturFACEIS – Associação Cultural Para o Desenvolvimento.

 

C. Soares

   

 

 

 

 

Destaques

...............................................................

Opinião                                         Opinião 

MULHER SAOTOMENSE EXIGIE-SE, UMA NOVA ATITUDE!

... Por ocasiao de 19 de Setembro, quero desejar-te e a tdas as mulheres saotomenses um momento de alegria e muito sucesso. O nosso país vive um momento muito dificil e particular da sua história, com acontecimentos inacreditaveis, que alguma vez se tem memória... por Eustáquio Lombá do Amaral | Webeto.org [ 2009-09-21 ]

Ler mais >

 

Sociedade e Cultura                      

Homenagem a Alda Espírito Santo

A escritora Alda Espírito Santo foi homenageada no jantar de Encerramento do 6º Encontro de Fundações da CPLP, dia 17, na Fortaleza-Museu de São Tomé.
Nascida em 1926 em S. Tomé, Alda Graça (como também é conhecida) estudou em
Portugal.
De regresso a São Tomé e Príncipe começou por dar aulas até ser convidada a exercer cargos políticos como Ministra da Informação e Cultura, Ministra da Educação e Cultura, como Deputada e Presidente da Assembleia Nacional... CPLP [ 2009-09-21 ]

Ler mais >